segunda-feira, 29 de abril de 2013

Pessoas de Curaçá em propaganda política de ACM

video

Certo dia, por acaso, encontrei este vídeo no Orkut de alguém, não me lembro de quem. Achei interessante, fiz o download e o guardei entre outros documentos. Agora, fuçando meus arquivos, o encontrei novamente. Trata-se de um trecho do programa de televisão de Antônio Carlos Magalhães (do antigo PFL), na época candidato ao governo da Bahia. A relíquia foi disponibilizada pelo jornalista Ricardo Noblat em seu canal no Youtube. O ano era 1990, mais precisamente, dia 1º de julho. A cidade estava em plena Festa dos Vaqueiros, quando recebeu a visita do velho 'Cabeça Branca'. Bem, isso não importa mais e nem vem ao caso. Se a razão de antes foi político-partidária, o intuito agora é o resgate histórico. 

Pois bem, vejam só as pessoas que aparecem no vídeo. Escutem com atenção a narração e observem como era a cidade no final dos anos 80. Mas lembrem-se: sem paixões 'carlistas'. Eu consegui identificar João do Fumo, salvo engano, Nelson Boga e Seu Sinhô. Os dois primeiros já faleceram, mas o último, podemos vê-lo todos os dias sentado ao lado da Delegacia, em frente ao seu antigo local de trabalho. Muitos curaçaenses devem ter em suas residências, pelo menos um móvel, confeccionado pelas mãos dele. 

É apenas um minuto e trinta e nove segundos de duração, mas para quem conhece/conheceu essa gente, passa um filme inteiro na cabeça. Assistam, viajem no tempo, matem a saudade, identifiquem mais pessoas. Vale a pena!!!!  

domingo, 28 de abril de 2013

ASSEC realiza encontro em Poço de Fora

Participantes de encontro em Poço de Fora. Foto: João Augusto

Os diretores da Associação de Estudantes de Curaçá - ASSEC, realizaram na tarde deste domingo (28), no prédio da Escola Municipal João Francisco Félix, uma assembleia com representantes da classe estudantil do Distrito de Poço de Fora. A reunião serviu para apresentar propostas para fortalecimento da Entidade com a adesão dos alunos do referido distrito, além de esclarecer alguns pontos referentes ao repasse de recursos previsto em Licença Ambiental, concedida pelo Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente - Condema, à Mineração Caraíba S/A pela extração de cobre na Fazenda Surubim.

Estiveram presentes o professor Carlos Alberto Marques, o diretor Joselito Martins, o ex-vereador Adelson Félix, além de Vilebaldo Veira Barbosa e Edirlei Eder Souza Pereira, todos moradores de Poço de Fora. A ASSEC foi representada pelo seu presidente Luciano Lugori e pelos diretores Jucielly Isabel Pereira Martins, Julliane Isabel Pereira Martins e João Augusto Gomes Rêgo. Durante a reunião foram discutidas a possibilidade de criação de subdiretorias, reuniões itinerantes, organização de encontro municipal de estudantes, além do planejamento de atividades socioambientais a serem desenvolvidas no Município.


“Não tenho dúvidas de que a ASSEC se firmará como entidade máxima de representação estudantil. O encontro em Poço de Fora foi só o primeiro passo. Estaremos realizando reuniões em todo território curaçaense, articulando com os estudantes, fortalecendo a associação e, claro, retribuindo socialmente à comunidade com as mais diversas atividades na sede e no interior”, comentou Luciano Lugori, presidente da Associação.


O estudante Edirlei Eder revelou que muitos estavam receosos em se associarem à instituição em Curaçá por medo de ficarem alheios aos acontecimentos. “Fizemos alguns encontros aqui, queríamos nos organizar melhor, por isso, pensamos em criar a nossa própria associação, mas, em nenhum momento, algum de nós pensou na possibilidade de criação de uma subdiretoria. Agora, após discussão com o grupo, estou tendo uma visão melhor as coisas”, finalizou. 


Joselito, Carlos Alberto e Adelson Félix. Foto: Luciano Lugori 
A ideia de subdireção e do rodízio de reuniões em todo interior servirá para dirimir dificuldades apresentadas, como, por exemplo, a distância para Sede, além de estreitar relações entre os diretores da Entidade. A intenção é que os estudantes do distrito procurem seus representantes e estes, por sua vez, entrem em contato os dirigentes da Associação. A instituição dará suporte e apoio às lutas pelo transporte escolar e pelo acesso a cursos técnicos e superiores, possibilitando uma educação de qualidade. Após discussões, ficou acordado que os presentes repassariam o que foi debatido para os demais alunos de Poço de Fora. A ASSEC estará presente no Distrito em outro momento, ainda sem data definida, para reafirmar a parceria e a adesão dos novos sócios.





Ascom - Associação de Estudantes de Curaçá

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Um dia paradoxal com Pinzoh e Dona Nenzinha

Hoje o dia é, especialmente, paradoxal por dois motivos.


Primeiro, comemora-se o aniversário de meu inestimável amigo Josemar Martins, o Pinzoh, o qual tenho grande admiração. Falar sobre ‘tal’ é muito suspeito. O menino travesso que virou poeta, o homem da roça que virou Doutor. Na poesia brinca com as palavras, cometeu a própria arte e com a sua ‘loucura’ nos enxertou poemas escandalosos, segundo o próprio “coisas que os reis nos negam o direito”. Os tempos passaram, mas Pinzoh continuou sendo o “o mesmo outro”, no entanto, com esforço, dedicação e força de vontade, seguiu pelas veredas da Educação e fez-se Doutor. Agora o 'pintadinho’ como era chamado pelos colegas de escola nos tempos de São Bento, assim revelou Edelita dos Santos Souza, sua professora alfabetização, preenche espaços, "brancos, pretos, pouco, aos maços, contanto que lhe caiba inteiro”. Pinzoh também fez-se/faz-se poesia.

Josemar Martins noutros tempos. Foto: Blog do Pinzoh

O segundo motivo foi a triste notícia da morte de Maria Almeida de Araújo. Hoje Curaçá perdeu Dona Nenzinha, como era conhecida por todos nós. Uma das célebres testemunhas da nossa história, uma das professoras mais renomadas de Curaçá, que teve uma vida dedicada à educação. Partiu perto de completar 97 anos, no próximo dia 11 de maio, e deixou uma lacuna nos nossos corações. Estive presente algumas vezes na sua residência e pude observar tamanha presteza e sua dedicação aos estudos, na época eu estudava com Emanuella Araújo, uma de suas netas. Dona Nenzinha será sempre um exemplo de mulher, sua história será sempre contada por nós curaçaenses, sua memória permanecerá viva e atravessará os tempos. Assim, como já está registrada no Livro Herdeiras de Feliciana - Perfis de Mulheres de Curaçá, de Alinne Suanne Torres, sua história será contada por muitos outros, será citada em pesquisas, artigos e livros. No dia de sua entrevista com Alinne, Dona Nenzinha encerrou com as seguintes palavras, as quais peço licença para repeti-las: “continuem estudando, sejam pessoas honestas e direitas. Muita coisa depende da gente mesmo e não dos outros. As pessoas que procuram proceder bem, tudo fica mais fácil”. Foi uma mulher cuja energia era contagiante e pessoas assim nunca morrem.

Pinzoh e Dona Nenzinha, ambos dedicados à educação, ambos exemplos de pessoas. Curaçá agradece suas contribuições. 

À Josemar Pinzoh, desejo muitas felicidades, que você continue ins-pirando poetas, escritores e 'loucos'. 

À Dona Nenzinha, peço que Deus a receba com todo o seu esplendor. Um grandioso abraço à família, na pessoa de Emanuella De Araújo Carvalho. Força sempre!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Pra frente é que se anda!

Estudantes reunidos com o Prefeito Carlinhos Brandão. Foto: Guila Alencar

E que joguem as pedras, mas a verdade tem que ser dita pra todos, e assim farei. Direi pros que querem saber e para aqueles que, como diz o ditado popular, “estão cagando e andando”. No último domingo, dia 21, estive reunido com pessoal da Associação de Estudantes de Curaçá, a ASSEC, juntamente com Carlinhos Brandão para, enfim, fecharmos um acordo entre as partes. De um lado estava o grupo de estudantes, esperançosos como sempre, fazendo o seu ofício de militância e representação estudantil, levantando a bandeira de luta em prol da educação; e do outro lado estava o Prefeito, cheio de boa vontade, disposição e paciência. 


Depois de quase duas horas de reunião, discutimos diversos pontos, alguns até fora da pauta inicial, porém, foi suma importância abordá-los. O momento foi oportuno. Falamos tudo, tudo mesmo. De valores de pneus até sonhos frustrados. Eu fui surpreendido e acredito que meus colegas também. Tínhamos algumas solicitações e já sabíamos das dificuldades e empecilhos, mas “quem não chora não mama”, então, pedimos tudo! 

A ajuda no transporte escolar e outros custeios da Associação é sempre acordado em todo início de gestão. Em dezesseis anos de existência, fizemos isso com Salvador Lopes, Aristóteles Loureiro e agora Carlinhos Brandão. Cada um buscou uma alternativa para reduzir valores, já que os custos são altíssimos e, ainda mais, foge (perante leis) da obrigação do Município, já que se trata, principalmente, de Ensino Superior. Mas desta vez foi diferente, quer dizer, foi especial, pois além da ajuda que, historicamente, já é a maior em percentuais, o Prefeito se comprometeu em providenciar um terreno com medidas comercias para construção de nossa própria sede.

Já havia solicitado anteriormente, mas por problemas judiciais com as terras de Curaçá nunca saiu. Não sei se foi, exclusivamente, por esse motivo ou por outras razões. A verdade é que agora teremos um espaço para construir nossa casa, o que será outra luta. E não parou por aí não! Teve mais! A possibilidade de compra de um ônibus para a ASSEC ficou bem encaminhada. O Prefeito deu total apoio, já que alegamos a dificuldade em suportar a demanda, pois o número de estudantes que fazem uso do transporte escolar para outras cidades tem aumentado gradativamente, o que nos obrigou a colocar uma van, mas ainda assim, em muitos casos, temos que fazer revezamentos ou viajar em pé. Apresentamos uma solução e esta foi abraçada pela gestão municipal. 

Pensa que acabou, pois bem, tem mais coisas boas, entre elas, a ampliação do quadro social, que deve-se estender também para os estudantes do Interior do Município que já estes também estão recebendo ajuda da Prefeitura. A intenção é fortalecer cada vez mais a Associação e a adesão destes estudantes fará que as nossas atividades sejam desenvolvidas em toda comunidade curaçaense. Sem o apoio do governo municipal, não teríamos força para contemplar todo Município. Estudantes de Pedra Branca, Patamuté, Riacho Seco, Mundo Novo, Poço de Fora e outros povoados, agora terão a quem recorrer.

Olha só pessoal, tenho minhas posições políticas e todos sabem que fiz campanha para Salvador Lopes e não me arrependo disso, mas já passou. O povo foi soberano na sua escolha, agora é seguir em frente, com o tempo faremos uma avaliação da Gestão, ainda é cedo para atirar pedras. Eu quero é ver Curaçá no caminho do progresso e continuarei a lutar com unhas e dentes em prol da classe estudantil, em defesa do nosso patrimônio cultural, artístico e histórico, independentemente, de governos, de legendas ou cores. Eu sou mais Curaçá! Eu quero ver minha Cidade no topo, nas capas de revistas, mas manchetes dos jornais, nas TVs e nos rádios, na internet, na boca do povo, enfim, em todas as mídias.

E aqui, devo agradecer a Carlinhos Brandão pela recepção, pelo atendimento e presteza às nossas solicitações, pelo compromisso firmado e pela força de vontade. A gente não precisa saber de tudo nem carregar diplomas e anéis para entender a importância de preparar nossos jovens para o futuro, de capacitá-los. Possibilitar e facilitar acessos a cursos técnicos e superiores é empreender, é trabalhar as potencialidades, é saber que na frente o Município de Curaçá é quem mais tem a ganhar, pois somente pela educação poderemos transformar o mundo. E a nós mesmos!